Vol. 35 n. 57 - 1983


SUMÁRIO / SUMMARY

Emenda ao gênero Furarium Rizz. (Loranthaceae)
Carlos Toledo Rizzini

Contribuição ao conhecimento da distribuição geográfica das Lauraceae VIII
Ida de Vattimo-Gil

Uma nova variedade de Vriesea atra Mez
Gustavo Martinelli

Excursão à Iguaba Grande
Humberto de Souza Barreiros

Observações fitogeográficas
Apparicio Pereira Duarte

Historiografia do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no contexto da Fazenda Real da Lagoa Rodrigo de Freitas e seus desdobramentos
João Conrado Niemeyer de Lavôr

Frei Leandro do Sacramento
Luiz Edmundo Paes


Emenda ao gênero Furarium Rizz. (Loranthaceae)

Carlos Toledo Rizzini

RESUMO

o gênero Furarium loranthaceous foi anteriormente descrito (Rizzini, 1956) como desprovida de bracteoles nas cavidades da coluna vertebral em que as flores estão inseridas. Recente reexame de uma amostra extremamente favorável tem mostrado que tais bracteoles
existem e são ainda bem desenvolvidos. Além disso, foi divulgado que as flores são unissexuais e dispostas em ternations. Tendo em conta estas novas funcionalidades o genérico e diagnósticos específicos têm que ser alterados em alguns detalhes. Como resultado o Furarium, tem intermediário entre Phthirusa (pelo ternations dentro bracteolarxícaras e flores dicline) e Oryctanthus (pelos eixos da inflorescência escavado). Ele difere de ambos por sua conspícua, brácteas estreitamente imbrica'te em direção àspike ápice (daí picos strobiliform) aliada à thecae antera amplamente divergentes

ABSTRACT

The loranthaceous genus Furarium was formerly described (Rizzini, 1956) as devoid of bracteoles in the cavities of the rachis in which the flowers are inserted. Recent reexamination of an extremely favorable specimen has shown that such bracteoles do exist and are even well developed. Moreover, it was disclosed that the flowers are both unisexual and arranged in ternations. In view of these new features the generic and specific diagnoses have to be amended in certain details. As a result, Furarium has got intermediate between Phthirusa (by the ternations inside bracteolar cups and dicline flowers) and Oryctanthus (by the excavated inflorescence axes). It
differs from both of them by its conspicuous, closely imbrica'te bracts toward the spike apex (hence strobiliform spikes) allied to the amply divergent anther thecae.


Obtenha o PDF deste artigo


Contribuição ao conhecimento da distribuição geográfica das Lauraceae VIII

Ida de Vattimo-Gil

RESUMO

Este trabalho é o oitavo de uma serie, que estamos publicando com dados que julgamos importantes para a ciência botânica, no que diz respeito a espécies de Lauraceae adiante relacionadas, por nós identificadas ou que tiveram suas identificações por nós revisadas. Além das novas localidades de ocorrência, relacionamos material de importância histórica e os herbários onde todos os exemplares estudados se acham depositados.
Foram identificadas e estudadas exsicatas das seguintes espécies: Aiouea saligna Meissn., Aniba affinis (Meissn.) Mez, A. albida Mez, A. burchellii Kosterm.. A. canelilla (H.B.K.) Mez, A. citrifolia (Nees) Mez, A. coto (Rusby) Kosterm., A. cylindriflora Kosterm., A. desertorum
(Nees) Mez, A. duckei Kosterm., A. elliptica A.C. Smith, A. excelsa Kosterm.. A. firmula (Nees et Mart.) Macbride, A. fragrans Ducke, A. gardneri (Meissn.) Mez, A. gigantifolia O.C. Smith, A. heringerii Vattimo, A. hostmanniana (Nees) Mez, A. kappleri Mez, A. megaphylla Mez, A. muw (R. et P.) Mez, A. ovalifolia Mez, A. panurensis (Meissn.) Mez, A. parviflora (Meissn.) Mez, A. permollis (Nees) Mez, A. perutilis Hemsl., A rosaeodora Ducke. A. salicifolia (Nees) Mez, A. terminalis Ducke, A. trinitatis (Meissn.) Mez, A. viridis Mez, Beilschmiedia emarginata (Meissn.) Kosterm., Nectandra arnottiana Nees, N. cuspidata Nees, N. falcifolia (Nees) Castigl., N. grandiflora Nees, N. japurensis Nees, N. lanceolata Nees, N. latifolia (H.B.K.) Mez, N. leuwntha Nees, N. leucothyrsus Meissn., N. magnoliaefolia Meissn., N. martinicensis (Jaq.) Mez, N. myriantha Meissn., N. nitidula Nees, N. pichurim (H.B.K.) Mez, N. psammophila Nees, N. puberula Nees, N. reticulata (R. et P.) Mez, N. riedelii Meissn., N. rigida (H.B.K.) Mez, N. venu-Iosa Meissn. e N. viburnoides Meissn.

ABSTRACT

The list of 54 species of Lauraceae identified or revised by the Author is given. Data about geographic occurrence, habitat, habitus etc. are given.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Uma nova variedade de Vriesea atra Mez

Gustavo Martinelli


Obtenha o PDF deste artigo

 


Excursão à Iguaba Grande

Humberto de Souza Barreiros


Obtenha o PDF deste artigo

 


Excursão à Iguaba Grande

Humberto de Souza Barreiros

RESUMO

O presente trabalho é a primeira contribuição para o conhecimento da Dicksonia selloviana (Pr.)Hook, 1844. Tratar da sistemática da espécie e a distribuição geográfica no Brasil.


ABSTRACT

The present paper is the first contribution to the knowledge of Dicksonia selloviana (Pr.)
Hook, 1844. Treat from the systematics of the specie and the geographical distribution in Brazil.


Obtenha o PDF deste artigo

 

 


Observações fitogeográficas

Apparicio Pereira Duarte

Obtenha o PDF deste artigo

 


Historiografia do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, no contexto da Fazenda Real da Lagoa Rodrigo de Freitas e seus desdobramentos


João Conrado Niemeyer de Lavôr

RESUMO

A transferência da capital de Salvador para o Rio de Janeiro em 1763 e a posterior chegada da Corte portuguesa em 1808, concorreram para inúmeras modificações e melhoramentos na cidade. São frutos destes benefícios as vias de acesso que aos poucos surgiram e com
elas os veículos, aperfeiçoados progressivamente para melhor atender à população.
Graças a isto, foram sendo ocupadas localidades mais distantes, inclusive na direção da zona sul, da qual faziam parte a Lagoa Rodrigo de Freitas, a Gávea e o Jardim Botânico.
Assim, o Rio de Janeiro foi se transformando, continuando sua história, aqui, parcialmente escrita.

Obtenha o PDF deste artigo

 


Frei Leandro do Sacramento

Luiz Edmundo Paes

Obtenha o PDF deste artigo