Vol. 36 n. 58 - 1984


SUMÁRIO / SUMMARY

A botânica da Carta de Pero Vaz de Caminha
Dárdano de Andrade-Lima

Revisão taxonômica do gênero Riedeliella Harms (Leguminosae-Faboideae)
Haroldo Cavalcante de Lima, Angela Maria Studart da Fonseca Vaz

Polygala Grazielae M. C. Marques - Uma nova espécie de Polygala L. para Mato Grosso do Sul
Maria do Carmo Mendes Marques

Amaranthaceae do Rio de Janeiro. I. O gênero Althernanthera Forsk.
Josafá Carlos de Siqueira & Elsie F. Guimarães

Novas espécies de Cinnamomum Schaefer do Brasil
Ida de Vattimo-Gil

Smilax L. (Smilacaceae). Espécies brasileiras. I. S. longifolia Richard: localização e classificação do tipo e seus sinônimos
Regina Helena Potsh Andreata

Trigoniaceae brasileiras V. - sobre a validade de Trigonia microcarpa Sagot ex Warming
Elsie F. Guimarães, Cecília Gonçalves Costa & João R. Miguel

Contribuição ao estudo das convolvuláceas do Estado do Ceará.
Wandette Fraga de A. Falcão & Joaquim Inacio de Almeida Falcão

Nota sobre Worsleya rayneri (J.D. Hooker) Traub Et Moldenke, espécie ameaçada de extinção
Gustavo Martinelli

Cassia cana Nees et Mart. (Leguminosae-Caesalpinoideae) II. Vascularização floral e considerações sobre o relacionamento planta-inseto.
Cecília Gonçalves Costa

Néctar em Cecropia lyratiloba Miq. var. nana Andr. Et Car. (Cecropiaceae)
José Cardoso de Andrade

Estrutura de Metternichia princips mikan (solanaceae)
Paulo Agostinho de Matos Araújo & Lais Catherine Sonkin

Nervação e epiderme foliar das Melastomataceae do Estado do Rio de Janeiro. Gênero Miconia Ruiz et Pavon. Seção Tamonea (Aubl.) Cogniaux
José Fernando A. Baumgratz & Geisa Lauro Ferreira

Anatomia floral de Barjonia erecta (Vell.) Schum. (Asclepiadaceae)
M. da C. Valente & Nilda Marquete Ferreira da Silva

Anatomia do desenvolvimento floral de Cassia macranthera DC. ex Pecklolt. (Leguminosae-Caesalpinoidae)
Delphos José Guimarães, Gerusa Brunow Fontenelle & Benedicto Antonio Duarte de Oliveira

Rubus rosifolius J. Sm. var. Rosifolius. (Rosaceae) - anatomia floral
Rosa Fuks & Delphos José Guimarães

 


A botânica da Carta de Pero Vaz de Caminha

Dárdano de Andrade-Lima

RESUMO

Este artigo trata da história da Botânica do Nordeste, relatada a partir da Carta de Pero Vaz de Caminha.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Revisão taxonômica do gênero Riedeliella Harms (Leguminosae-Faboideae)

Haroldo Cavalcante de Lima
Angela Maria Studart da Fonseca Vaz

RESUMO

O gênero Riedeliella Harms pertence à tribo Acosmieae Yakovl. (Leguminosae-Faboideae), representado por três espécies arbustivas, exclusivas da América do Sul. Os autores descrevem, ilustram, estabelecem o grau da afinidades entre as espécies e esclarecem a posição taxonômica do gênero. Uma chave dicotômica para a identificação das espécies e um mapa com a distribuição geográfica são apresentados. Sinonimiza-se o gênero Itaobimia Rizzini e propõe-se a nova combinação: R. magalhaesii (Rizz.) Lima & Vaz.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Polygala Grazielae M. C. Marques - Uma nova espécie de Polygala L. para Mato Grosso do Sul

Maria do Carmo Mendes Marques

RESUMO

O autor apresenta a diagnose e ilustrações de uma nova espécie de Polygala L., seção Polygala, subseção Apterocarpae Chod., Polygala grazielae, ocorrente no Estado de Mato Grosso do Sul e que apresenta afinidade com P. moquiniana St. Hil. e P. obovata St. Hil., distinta pelo hábito maior e principalmente pelas folhas verticiladas.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Amaranthaceae do Rio de Janeiro. I. O gênero Althernanthera Forsk.

Josafá Carlos de Siqueira
Elsie F. Guimarães

No presente trabalho, os autores apresentam uma chave e redescrevem as nove espécies de Alternanthera Forsk. (Amaranthaceae), ocorrentes no Rio de Janeiro, assim como sua distribuição geográfica.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Novas espécies de Cinnamomum Schaefer do Brasil

Ida de Vattimo-Gil

São descritas duas novas espécies brasileiras de Cinnamomum Schaefer (Lauraceae), a saber: C. caratingae Vattimo sp. n., de Minas Berais, Caratinga, e C. sabanae Vattimo sp. n., de Mato Grosso do Sul, 12km de Zuzu. C. Caratingae difere das espécies de seu grupo de anteras quadriculadas, principalmente pelas folhas cartáceas. Foi coletada por Ismael Kuhlmann, nº 27. C. sabanae é afim de C. zeylanicum diferindo, de imediato, pelos râmulos velutinos que apresenta. Foi coletada por José Geraldo Guimarães, nº 1.158. O material típico se acha depositado no RB.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Smilax L. (Smilacaceae). Espécies brasileiras. I. S. longifolia Richard: localização e classificação do tipo e seus sinônimos

Regina Helena Potsch Andreata

Em estudo anterior das espécies brasileiras do gênero Smilax L., S. longifolia Richard foi estabelecida e descrita. Neste trabalho discute-se a localização e classificação deste tipo e alguns problemas sobre a autoria de dois de seus sinônimos: S. papyracea Jaume St. Hil. e S. officinalis Poepp. ex Griseb.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Trigoniaceae brasileiras V. - sobre a validade de Trigonia microcarpa Sagot ex Warming

Elsie F. Guimarães
Cecília Gonçalves Costa
João R. Miguel

Neste artigo, são redescritos duas espécies de Trigoniaceae, Trigonia microcarpa Sagot ex Warming e T. laevis Aublet. Os autores propõem o restabelecimento da primeira como espécie válida e mantém em sua sinonímia T. parviflora Benth. São comentadas as características que permitem distinguir os dois taxa e consideradas as formações que ocorrem na região anterior do ovário como nectários. O trabalho é ilustrado com figuras, um mapa de distribuição das espécies e um diagrama pictório da variação do fruto.


Obtenha o PDF deste artigo


Contribuição ao estudo das convolvuláceas do Estado do Ceará

Wandette Fraga de A. Falcão
Joaquim Inacio de Almeida Falcão

O presente trabalho versa sobre o estudo das convolvuláceas do Estado do Ceará. Realizamos pesquisa bibliográfica e examinamos diversos herbários nacionais, elaboramos "Chaves" para os gêneros e espécies, delimitamos áreas de ocorrência e esperamos, deste modo, ter colaborado para o melhor conhecimento da flora deste estado brasileiro.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Nota sobre Worsleya rayneri (J.D. Hooker) Traub Et Moldenke, espécie ameaçada de extinção

Gustavo Martinelli

O autor analisa Worsleya rayneri, espécie endêmica no Município de Petrópolis, tecendo considerações sobre seu hábito sui-generis e sobre seu habitat.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Cassia cana Nees et Mart. (Leguminosae-Caesalpinoideae) II. Vascularização floral e considerações sobre o relacionamento planta-inseto.

Cecília Gonçalves Costa

Neste trabalho a autora analisa o surgimento dos traços vasculares e seu posterior comportamento em relação às peças florais de Cassia cana Nees et Mart. Referindo a perfeita adaptação planta-inseto, expressa por vários fatores, aponta como polinizadores efetivos Bombus morio e Xylocopa virescens e acredita que os polinizadores eventuais sejam atraídos pela substância açucarada dos frisos das anteras e dos estaminóides e das formações pluricelulares de receptáculo. A viabilidade do pólen proveniente dos dois tipos de anteras foi testada experimentalmente e a presença de um tecido nectarífero e de osmóforos sugere a existência de outros atrativos, além do pólen.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Néctar em Cecropia lyratiloba Miq. var. nana Andr. Et Car. (Cecropiaceae).

José Cardoso de Andrade

Registra-se mais uma fonte de alimento, utilizada pelas formigas Azteca associadas à Cecropia: o néctar das flores femininas. O caráter relicto destes nectários é aqui considerado. A gota de néctar parece ser importante na captação e germinação do pólen.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Estrutura de Metternichia princips mikan (solanaceae)

Paulo Agostinho de Matos Araújo
Lais Catherine Sonkin


Os autores descrevem detalhadamente a anatomia macro e microscópia da madeira de M. princeps Mik. var. princeps Mik., incluindo a mensuração e frequência de todos os elementos do lenho, as propriedades gerais, aplicações e ocorrência, no Brasil.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Nervação e epiderme foliar das Melastomataceae do Estado do Rio de Janeiro. Gênero Miconia Ruiz et Pavon. Seção Tamonea (Aubl.) Cogniaux


José Fernando A. Baumgratz
Geisa Lauro Ferreira


No presente trabalho os autores apresentam o estudo da nervação e da epiderme foliar da família Melastomataceae, referente às espécies do gênero Miconia Ruiz e Pavon, seção Tamonea (Aubl.) Cogniaux, ocorrentes no Estado do Rio de Janeiro.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Anatomia floral de Barjonia erecta (Vell.) Schum. (Asclepiadaceae)


M. da C. Valente
Nilda Marquete Ferreira da Silva

No presente trabalho as autoras fazem um estudo da anatomia floral da espécie Barjonia erecta (Vell.) Schum. Nas peças florais, foram observadas as seguintes características anatômicas: presença de feixes bicolaterais no pedicelo e receptáculo; feixes colaterais no tubo da corola, segmentos do cálice, lacínios das pétalas, anteras e ginostégio. Em cada carpelo notam-se 24-25 feixes vasculares. Destes, três são mais desenvolvidos: dois são os marginais secundários e o maior, o feixe dorsal. A corona consiste de dez segmentos parenquimatosos, não-vascularizados, com epidermes papilosas.


Obtenha o PDF deste artigo

 


Anatomia do desenvolvimento floral de Cassia macranthera DC. ex Pecklolt. (Leguminosae-Caesalpinoidae)

Delphos José Guimarães
Gerusa Brunow Fontenelle
Benedicto Antonio Duarte de Oliveira

Foi estudada em Cassia macranthera D.C., a anatomia do desenvolvimento de todos os verticilos florais, bem como a formação dos grãos de pólen, a germinação destes e a formação do óvulo. Como características anatômicas principais evidenciou-se: desenvolvimento não-simultâneo dos verticilos florais; desenvolvimento simultâneo das sete anteras, dos tecidos esporogênicos e semelhança das estruturas das anteras; conteúdo açucarado em certos tecidos da antera, em tricomas situados entre as bases das peças florais, bem como na epiderme que reveste o lóculo do ovário; estratos esclerificados sob a epiderme das anteras, o que impede a deiscência; e a fertilidade de todas as anteras.


Obtenha o PDF deste artigo



Rubus rosifolius J. Sm. var. Rosifolius. (Rosaceae) - anatomia floral

Rosa Fuks
Delphos José Guimarães

Rubus rosifolius J. Smith. var. rosifolius, vulgarmente chamado amora e framboesa, é uma planta cosmopolita encontrada principalmente em mata de encosta. Pesquisas bibliográficas relativas ao gênero Rubus, não fazem referências ao estudo anatômico em espécies brasileiras. Isto motivou-nos a realizar trabalhos de anatomia floral em espécies do referido gênero. Inicialmente, escolhemos a flor adulta de Rubus rosifolius onde tratamos das estruturas dos verticilos: sepátalas e pétalas, pedúnculo, estames e carpelos, bem como, a natureza química relacionada com os conteúdos celulares.


Obtenha o PDF deste artigo