Volume 51 Número 78/79 - 1999


SUMÁRIO

Anatomia da madeira de quatro espécies do gênero Miconia Ruiz & Pavón (Melastomataceae)
Micheline Leite Marcon& Cecília Gonçalves Costa

Philodendron Schott (Araceae): morfologia e taxonomia das espécies da Reserva Ecológica de Macaé de Cima - Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil
Marcus Alberto Nadruz Coelho

Composição florística e estrutura do componente arbóreo de um trecho de Mata Atlântica na Estação Ecológica Estadual do Paraíso, Cachoeiras de Macacu, Rio de Janeiro, Brasil
Bruno Coutinho Kurtz & Dorothy Sue Dunn de Araújo

Anatomia Foliar de Hibiscus tiliaceus L. e Hibiscus pernambucensis Arruda (Malvaceae)
Joecildo Francisco Rocha & Léa de Jesus Neves

Miconia tristis Spring e Miconia doriana Cogn. (Melastomataceae) : anatomia do eixo vegetativo e folhas
Rosangela Cristina Occhi Sampaio de Souza & Osnir Marquete

Índice cumulativo de artigos publicados na Rodriguésia 1935-2000
Maria de Fatima Verbicaro Ramos, Milton Ferreira Botelho, Roberto José Gervásio Unger,
Tânia Lúcia Resende & Tânia Maura Nora Riccieri

 

 

 


Anatomia da madeira de quatro espécies do gênero Miconia Ruiz & Pavón (Melastomataceae)

Micheline Leite Marcon &
Cecília Gonçalves Costa

RESUMO

Neste trabalho faz-se a descrição anatômica das madeiras de Miconia cabussu Hoehne, Miconia cinnamomifolia (DC.) Naudin, Miconia rigidiuscula Cogn. e Miconia sellowiana Naudin. As quatro espécies apresentam camadas de crescimento distintas; vasos solitários e em múltiplos; placas de perfuração simples; pontoações intervasculares pequenas, alternas e ornamentadas; parênquima axial paratraqueal escasso; raios integrados por células predominantemente quadradas e eretas; fibras semelhantes a parênquima, septadas e gelatinosas. As características que se mostraram úteis para a separação das espécies foram: demarcação das camadas de crescimento em M. cabussu e M. sellowiana; presença de traqueóides em M. cabussu; pontoações raio-vasculares em M. rigidiuscula e arranjo das fibras semelhantes a parênquima em M. cinnamomifolia. A forma das pontoações intervasculares e a largura dos raios separam as espécies em dois grupos: um inclui M. cabussu e M. cinnamomifolia e o outro, M. rigidiuscula e M. sellowiana. A formação dos grupos está representada em dendrogramas construídos através da análise de agrupamento.

Palavras-chave:Anatomia da madeira, Miconia, Melastomataceae

 

ABSTRACT

The wood anatomy of Miconia cabussu Hoehne, Miconia cinnamomifolia (DC.) Naudin, Miconia rigidiuscula Cogn. and Miconia sellowiana Naudin is described. The four species show distinct growth rings; solitary and multiples vessels; simple perforated plates; small, alternate and vestured intervessel pits; paratracheal scanty axial parenchyma; rays are composed by square, upright and few procumbent cells; parenchyma-like fibre; septate and gelatinous fibres. The useful characteristics for separation the species are: growth rings boundaries in M. cabussu and M. sellowiana; vascular tracheids present in M. cabussu; vessel-ray pits in M. rigidiuscula and parenchyma-like fibres arrangement in M. cinnamomifolia. The shape of the intervessel pits and the ray width separate the species into two groups: one includes M. cabussu and M. cinnamomifolia, the other group includes M. rigidiuscula and M. sellowiana. Dendrograms done in the cluster analysis represent these groups.

Keywords: wood anatomy, Miconia, Melastomataceae

Obtenha o PDF deste artigo


Philodendron Schott (Araceae): morfologia e taxonomia das espécies da Reserva Ecológica de Macaé de Cima - Nova Friburgo, Rio de Janeiro, Brasil

Marcus Alberto Nadruz Coelho

RESUMO

O presente trabalho trata da morfologia e do estudo taxonômico das espécies do gênero Philodendron Schott, ocorrentes na Reserva Ecológica de Macaé de Cima, Distrito de Macaé de Cima, Município de Nova Friburgo, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. Foram estudadas 10 espécies, a saber: P. altomacaense Nadruz et Mayo, P. appendiculatum Nadruz et Mayo, P. edmundoi Barroso, P. eximium Schott, P fragile Nadruz et Mayo, P. hatschbachii Nadruz et Mayo, P. ochrostemon Schott, P. ornatum Schott, P. propinquum Schott e P. roseopetiolatum Nadruz et Mayo sendo 3 endêmicas da área estudada - P. altomacaense, P. fragile e P. roseopetiolatum. As espécies P. eximium, P. imperiale, P. dolosum e P. ornatum foram lectotipificadas e P. ambiguum é reduzido a sinônimo de P. propinquum. O tratamento taxonômico dado às espécies do gênero em apreço inclui ilustrações, descrições, distribuição geográfica, uma chave dicotômica para identificação das espécies, comentários acerca da morfologia e sobre seus ambientes naturais e classificação da categoria conservacionista pelos critérios da International Union for Conservation of Nature and Natural Resources (IUCN).

Palavras-chave: Araceae/Philodendron/Taxonomia/Rio de Janeiro

 

ABSTRACT

This study consists of morphological and taxonomic treatment of the species of the genus Philodendron Schott which occur in the Ecological Reserve of Macaé de Cima, Macaé de Cima District, Municipality of Nova Friburgo, Rio de Janeiro State, Brazil. Ten species were studied: Philodendron altomacaense Nadruz et Mayo, P. appendiculatum Nadruz et Mayo, P. edmundoi Barroso, P. eximium Schott, P. fragile Nadruz et Mayo, P. hatschbachii Nadruz et Mayo, P. ochrostemon Schott, P. ornatum Schott, P. propinquum Schott and P. roseopetiolatum Nadruz et Mayo. Of which three of these species are endemic to the study area, as far as presently know - P. altomacaense, P. fragile and P. roseopetiolatum. The species names P. eximium, P. imperiale, P. dolosum and P. ornatum are lectotypified and P. ambiguum is reduced to the synonymy of P. propinquum. The taxonomic treatment includes illustrations, descriptions, geographical distribution, a dichotomous key for identification of the species, commentary on the morphology of the species, on their natural habitats, and of their conservation status according to the criteria of the International Union for Conservation of Nature and Natural Resources (IUCN).

Keywords: Araceae/Philodendron/Taxonomy/Rio de Janeiro

Obtenha o PDF deste artigo

 


Composição florística e estrutura do componente arbóreo de um trecho de Mata Atlântica na Estação Ecológica Estadual do Paraíso, Cachoeiras de Macacu, Rio de Janeiro, Brasil

Bruno Coutinho Kurtz &
Dorothy Sue Dunn de Araújo

RESUMO

O trabalho apresenta os resultados do levantamento fitossociológico do componente arbóreo (DAP ³ 5 cm) de um trecho de Mata Atlântica de encosta, na Estação Ecológica Estadual do Paraíso, Cachoeiras de Macacu, RJ. O clima da área é do tipo A’Ar, com temperatura média de 23,0oC e precipitação de 2.558,4 mm anuais. O solo predominante é da classe Cambissolo. O levantamento fitossociológico foi realizado pelo método de quadrantes. Nos 150 pontos, foram amostrados 592 indivíduos vivos, distribuídos por 42 famílias, 83 gêneros e 138 espécies, e 8 mortos ainda em pé. As 5 espécies mais importantes são: Neoraputia magnifica var. magnifica, Euterpe edulis, Gallesia integrifolia, Chrysophyllum flexuosum e Calycorectes sellowianus. Myrtaceae apresenta o maior número de indivíduos (18,6% do total) e de espécies, com 27 (19,6%) das 138 levantadas. As 5 famílias de maior VI são: Sapotaceae, Myrtaceae, Rutaceae, Meliaceae e Palmae. O índice de diversidade de Shannon (H’) é de 4,20 e a equabilidade (J), de 0,85. A mata apresenta dois estratos arbóreos, praticamente contínuos (1,8-18 m; 20-30 m), além de árvores emergentes (até 45 m). As distribuições de diâmetro (altura do estipe para Euterpe edulis) das principais espécies amostradas indicam regeneração abundante e estrutura populacional estável. Sugere-se que a mata encontra-se, possivelmente, em clímax ou em estágio sucessional muito próximo.

Palavras-Chave: fitossociologia, Mata Atlântica, Rio de Janeiro.

 

ABSTRACT

A phytosociological survey of the tree component (DBH ³ 5 cm) was carried out in an area of Atlantic Forest, in the Paraíso State Ecological Station, Cachoeiras de Macacu, RJ. The local climate is of type A’Ar, with annual mean temperature and precipitation of 23,0oC and 2.558,4 mm, respectively. Cambisoils predominate in the area. The point-centered quarter method was used for the phytosociological survey. In 150 points, 592 live trees were sampled, belonging to 42 families, 83 genera and 138 species; there were 8 dead trees. The 5 most important species are: Neoraputia magnifica var. magnifica, Euterpe edulis, Gallesia integrifolia, Chrysophyllum flexuosum and Calycorectes sellowianus. Myrtaceae has the greatest number of individuals (18,6% of the total) and species, with 27 (19,6%) from a total of 138. Families with the 5 highest IVs are: Sapotaceae, Myrtaceae, Rutaceae, Meliaceae and Palmae. The Shannon diversity index (H’) is 4,20 and equability (J), 0,85. The forest has two almost continuous tree strata (1,8-18 m; 20-30 m), plus the emergent trees (to 45 m). Diameter (stem height of Euterpe edulis) distributions of the main species indicate abundant regeneration and stable population structure. This forest is probably at climax or at least approaching the final stage of succession.

Keywords: phytosociology, Atlantic Forest, Rio de Janeiro State, Brazil.

Obtenha o PDF deste artigo

 


Anatomia Foliar de Hibiscus tiliaceus L. e Hibiscus pernambucensis Arruda (Malvaceae)

Joecildo Francisco Rocha &
Léa de Jesus Neves

RESUMO

No presente trabalho são apresentados dados morfológicos e o estudo anatômico da folha de Hibiscus tiliaceus L. e Hibiscus pernambucensis Arruda, duas espécies da família Malvaceae, de grande controvérsia taxônomica, tendo em vista a similaridade dos taxa. As espécies foram coletadas na Praia de Saí, Mangaratiba, Estado do Rio de Janeiro, Brasil. A análise dos resultados morfológicos e anatômicos mostrou que as espécies apresentam características distintivas e de valor diagnóstico, que confirmam tratar-se de duas espécies distintas. Concluimos que H. tiliaceus se distingue de H. pernambucensis por apresentar, entre outras, as seguintes características: mancha púrpura na base da corola, folhas de textura cartácea, estômatos presentes nas duas faces, estrias epicuticulares na epiderme adaxial, tricomas estrelados em menor quantidade, idioblastos mucilaginosos na epiderme adaxial, hipoderme presente ao longo da nervura mediana e canais secretores de mucilagem mais numerosos e com distribuição regular.

Palavras-chave: Malvaceae – Anatomia Foliar - Hibiscus

 

ABSTRACT

This paper presents the foliar anatomy of Hibiscus tiliaceus L. and Hibiscus pernambucensis Arruda. These two species of the Malvaceae family are of very controversy, because they are very similar taxa. The species were collected at Saí Beach, Mangaratiba, Rio de Janeiro, Brazil. The morphological and anatomical observations showed that the species have very distinctive characteristics and they are of the great usefulness, for diagnostic value, that confirm to treat of two distinct species. We have concluded that H. tiliaceus is distinct from H. pernambucensis because it shows , among others, the following characteristics: the petals have a purple red basal spot, the leaves are cartaceous, the epicuticular striae are present on the adaxial epidermal cells, the stellate hairs are less abundant, the mucilaginous idioblasts appear on the upper epidermis, the hipodermis is present on the mibrid and mucilage ducts are more abundant and show regular distribution.

Kew words: Malvaceae - leaf anatomy – Hibiscus

Obtenha o PDF deste artigo


Miconia tristis Spring e Miconia doriana Cogn. (Melastomataceae) : anatomia do eixo vegetativo e folhas

Rosangela Cristina Occhi Sampaio de Souza &
Osnir Marquete

RESUMO

É feito um estudo anatômico do eixo vegetativo de duas espécies da família Melastomataceae, Miconia tristis Spring e Miconia doriana Cogn., ocorrentes na Reserva Ecológica de Macaé de Cima, no Rio de Janeiro. As espécies sobressaem pelo alto grau de similaridade tanto em relação a morfologia externa quanto interna, organização dorsiventral das folhas, hipoestomática, sistema vascular em U e tricomas estrelados. Os resultados obtidos demonstram que as espécies estão adaptadas a ambientes mesofíticos e que Miconia tristis pode ser distinta pela posição basal das nervuras, lâmina foliar lanceolada, enquanto Miconia doriana apresenta posição supra basal das nervuras, lâmina foliar ovada e de domácia do tipo bolsa, entre outras características.

Palavras chave: Anatomia, Miconia, Melastomataceae

 

ABSTRACT

An anatomical study of vegetative axis on two species from family Melastomataceae, Miconia tristis Spring and Miconia doriana Cogn. occur in Macaé de Cima Ecological Reserve, Rio de Janeiro. These species stand out for to such a degree or extent of similar intern and external morphology, dorsiventral organization the your blades, hypostomatic , vascular bundles in U and stellate trichomes. The results obtained showed the species are adapeted mesophytics environment and the difference betwen the species Miconia tristis is found basal position of the middle vein, lanceolate leaf blade while Miconia doriana present oval leaf blade, pocket domatia, and others characteristics.

Keywords: Anatomy, Miconia, Melastomataceae

Obtenha o PDF deste artigo


Índice cumulativo de artigos publicados na Rodriguésia 1935-2000

Maria de Fatima Verbicaro Ramos, Milton Ferreira Botelho, Roberto José Gervásio Unger,
Tânia Lúcia Resende & Tânia Maura Nora Riccieri

O objetivo de reunir os artigos técnicos e científicos, publicados na Revista Rodriguésia desde o v.1, n.1 de 1935 até o v. 51, n.78/79, de 2000, formando um índice cumulativo apresentado em ordem alfabética de autores, é o de divulgar a trajetória desta Revista, recuperando o conhecimento adquirido e armazenado pelo Jardim Botânico do Rio de Janeiro durante o século XX.
Divulgamos também informações publicadas nesta Revista em seções especiais, como “Necrologia”, “Resenha Bibliográfica” e “Noticiários e Atividades”, relacionados ao final do trabalho, por conterem textos relevantes e retrospectivos, resgatando parte da memória do Jardim Botânico do Rio de Janeiro, por mais de um século, que vinculado ao Instituto de Biologia Vegetal, à Estação Biológica do Itatiaya e, posteriormente, ao Serviço Florestal, mantiveram a responsabilidade pela publicação da Revista Rodriguésia até 1939, assumindo a partir de então a publicação da mesma, até o atual Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro.

Obtenha o PDF deste artigo